acneAcne e outras Infecções por Bactérias

A sua pele tem pequenos buraquinhos chamados poros que podem ser bloqueados por oleosidade, bactérias e sujeiras. Quando isso acontece, pode aparecer uma pequena pústula ou “espinha”. Se a pele é afetada repetidamente por essa condição, você pode ter um quadro de acne.

De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, acne é a forma mais comum de problemas da pele e, ainda que não seja uma doença de risco de vida, pode ser muito dolorosa, especialmente quando o quadro é bastante severo. E pode causar um sério estresse emocional.

A acne que aparece no rosto tem forte impacto sobre a autoestima do paciente e pode provocar cicatrizes permanentes. Felizmente, existem tratamentos efetivos para essa doença que reduzem tanto o número de espinhas quanto as chances de cicatrizes.

Causas da Acne

A acne ocorre quando os poros são bloqueados pela oleosidade excessiva, células mortas da pele, ou bactérias. Cada poro da sua pele é a abertura para um folículo pilossebáceo, que é composto por um pelo e por uma glândula sebácea. A glândula libera sebo (óleo), que sobe no pelo até o poro e sai pela pele. O sebo mantém sua pele lubrificada e macia. A acne ocorre basicamente devido a um ou mais problemas nesse processo de lubrificação. E isso pode ocorrer devido a:

  • Muita produção de sebo pela glândula sebácea
  • Células mortas de pele se acumulam no poro
  • Proliferação de bactérias no poro

Todos esses fatores contribuem para o desenvolvimento de cistos e comedões (“cravos”). A espinha aparece quando a bactéria cresce no poro bloqueado, inflama e o sebo não consegue escapar.

Fatores de risco para o desenvolvimento de acne

Mitos sobre o que contribui para a acne são muito comuns – comer chocolate e batata frita, por exemplo. Ainda que não haja suporte científico para essas afirmações, existem certos fatores que podem ser um risco para o desenvolvimento ou piora de acne:

  • Alterações hormonais causadas pela puberdade ou gravidez
  • Certos medicamentos como pílulas anticoncepcionais e corticoides
  • Uma dieta muito rica em açúcares ou carboidratos de alto índice glicêmico, como pães e batatas

Jovens formam o grupo de risco mais propenso ao desenvolvimento de acne durante a puberdade. Nesse período, o corpo sofre drásticas mudanças hormonais. São esses hormônios que levam à super produção de oleosidade e aumento do risco de acne. Geralmente a acne relacionada à puberdade diminui quando o adolescente chega à idade adulta.

Sintomas

Acne pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é muito mais comum que apareça na face, nas costas, no pescoço, no peito e nos ombros. Os comedões chamados de  “cravos” – brancos e negros – são os primeiros sintomas de acne. Com a evolução do quadro, há inflamação e acúmulo de bactérias nos folículos formando as “espinhas” vermelhas e doloridas. Dependendo do grau de inflamação, podem formar as cicatrizes permanentes e inestéticas. Alguns sinais da acne, de acordo com a gravidade do quadro, podem ser:

  • Comedões – pontos pretos ou branco do tamanho do folículo, sem sinal de inflamação
  • Pápulas – pequenas bolinhas vermelhas e salientes, causadas pelos folículos pilosos com sinais inflamatórios
  • Pústulas – pequenas espinhas vermelhas e inflamadas, com pus
  • Nódulos – protuberâncias sólidas, doloridas e de consistência firme, que ficam abaixo da superfície da pele
  • Cistos – “bolsas” de fibrose e inflamação, com ou sem infecção,  abaixo da pele que contém secreção e geralmente são doloridas

Diagnóstico

Se você apresenta sintomas de acne, é bom procurar um médico dermatologista para ter um diagnóstico apropriado. O médico fará um exame clínico para avaliar as lesões e determinar a gravidade do quadro, o que é fundamental para que o tratamento tenha bons resultados. O quadro clínico da acne é classificado em quatro fases da doença:

  • Acne grau 1 – sua pele apresenta somente comedões, não tem lesões inflamatórias ou “espinhas”
  • Acne grau 2 – a pele apresenta cravos e pequenas pápulas inflamadas com ou sem pontos amarelos de pus (pústulas)
  • Acne grau 3 – muitos cravos, “espinhas” e nódulos aparecem na pele, provocando um quadro inflamatório e afetando a aparência da área afetada
  • Acne grau 4 – de repente aparece uma acne com lesões mais sérias, com nódulos e cistos doloridos (aqueles que provavelmente deixarão cicatrizes residuais), além de outros sintomas como febre, mal estar, dor no corpo. Esta forma de acne não é tão comum e afeta mais os rapazes.

Tratamentos

Hoje em dia a acne não é um pesadelo intratável, ao contrário, as chances de sucesso são grandes. A grande maioria dos casos tem a pele limpa de acne em cerca de seis a oito semanas. No entanto, as recidivas podem ocorrer e então tratamentos adicionais são necessários. As cicatrizes de acne provocam estresse emocional, portanto o tratamento aos primeiros sintomas ajuda muito a preveni-las.

De acordo com o diagnóstico da sua acne, o médico poderá prescrever medicações que ajudarão a reduzir os sintomas e prevenir as cicatrizes. Antibióticos por via oral ou tópico para matar as bactérias que causam as espinhas ajudam bastante. Cremes de uso tópico com ácido retinóico e cremes com maior dose de peróxido de benzoíla e/ou ácido salicílico também vão ajudar a controlar a oleosidade da pele, assim como loções tônicas ou adstringentes e esfoliantes. Medicamentos que regulam os hormônios, como a pílula anticoncepcional, podem ser indicados para as mulheres afetadas pela acne. O médico também pode optar pelo uso de corticóides.

As formas mais graves de acne, mais resistentes aos tratamentos, ou quando o paciente está emocionalmente afetado pelo problema, podem ser tratadas com Isotretinoína oral – mas esta indicação deverá ser acompanhada estritamente pelo médico, devido aos sérios efeitos colaterais da droga.

Tratamentos adicionais

Conforme a situação do seu quadro clínico, o médico poderá recomendar procedimentos adicionais para o tratamento, especialmente para prevenir as cicatrizes.

  • Lasers e dermoabrasão – para remover camadas superficiais da pele e assim retirar manchas residuais e melhorar as cicatrizes provocadas pela acne.
  • Peelings químicos – também atuam sobre a superfície da pele e ajudam a tratar  cravos e “espinhas”.
  • Limpeza de pele – para remover cravos, cistos pequenos (miliuns) e extrair pústulas.

Cuidados e prevenção

Diversas medidas caseiras ajudam a prevenir o aparecimento das espinhas e cravos:

  • Limpe sua pele diariamente com um sabão adequado para pele oleosa para remover o excesso de óleo e sujeira sem ressecar a pele
  • Lave o cabelo regularmente
  • Não esprema as espinhas, pois a bactéria e o excesso de óleo pode se espalhar e piorar a inflamação
  • Evite manipular o rosto
  • Use maquiagem sem óleo ou não comedogênica (que não obstrua os poros)
  • Tente controlar o estresse
  • Evite alimentos muito gordurosos e calóricos
  • Evite o sol muito forte
  • Tome uma ducha logo após os exercícios
  • Evite roupas apertadas

Existem diversas doenças de pele provocadas por bactérias – impetigo, outras  foliculites, furúnculos, piodermites, eritrasma, erisipela, entre outras. Sempre que uma lesão aparecer, é importante procurar o médico dermatologista para obter um diagnóstico preciso e um tratamento e orientações seguros.

 
 

Relacionados