Alergias e Dermatite Atópica

A pele é uma grande vítima das alergias. Bolhas, coceira, vermelhidão e outras condições da pele são muito comuns, muitas vezes envolvem processos alérgicos, a causa pode não ser facilmente identificável e geralmente não são contagiosas. As erupções cutâneas podem ser causadas por diversos fatores, incluindo reações alérgicas a plantas (hera venenosa, por exemplo), a um medicamento ou alimento, a picada de insetos ou a uma doença (sarampo ou varicela, por exemplo). Eczema e urticária, reações da pele frequentemente relacionadas com alergias, são duas das erupções de pele mais comuns.

É importante procurar um médico dermatologista caso os sintomas persistam, pois a coceira e outros sinais alertam que algo não está indo bem no organismo. O médico deverá descartar o diagnóstico de doenças renais ou do fígado, entre outros problemas sérios de saúde, para proceder ao tratamento adequado.

Dermatite Atópica

 

sinaisdereacaoalergicaaosol

Esta é a forma mais comum de eczema, que afeta cerca de 10 a 20% das crianças e 1 a 3% dos adultos. A pele afetada pela dermatite atópica, ou eczema, pode apresentar erupções que apresentam secura, vermelhidão, descamação com inflamação, irritação e coceira. Às vezes, quando ocorre uma infecção secundária, podem aparecer pequenas bolhas cheias de líquido amarelado. Surgem comumente nas dobras dos braços, na parte de trás dos joelhos e no pescoço. As pessoas com dermatite atópica muitas vezes têm uma história familiar de alergias, como asma ou rinite alérgica.

Alguns fatores de risco para o desenvolvimento da dermatite atópica são a alergia a: pólen, mofo, pó, pelos de animais e substâncias químicas – perfumes e corantes – adicionados a sabonetes ou cremes. Estresse também é um fator desencadeante ou agravante da dermatite atópica.

Se os sintomas se agravam ao ponto de perturbar o sono é preciso procurar o dermatologista. O diagnóstico do eczema e a sua gravidade é realizado clinicamente, o médico examina a pele lesionada e leva em consideração o histórico médico e familiar do paciente.

O tratamento da dermatite atópica é feito com medicamentos de uso oral e tópico: anti-histamínicos para aliviar a coceira e cremes – às vezes adicionados com corticóides e antibióticos (se houver infecção) – para tratar os demais sintomas. Nos casos mais extensos, também pode ser associada a fototerapia (banhos de luz), periodicamente. A cabine de luz ajuda a amenizar o quadro clínico e a inflamação, assim como os sintomas. Mas, a base do tratamento é uma boa hidratação da pele, com componentes que acalmam a pele e ajudam a restabelecer a barreira cutânea protetora, como calmaline, óleo de borage, óleo de calêndula, extrato de camomila e alfa-bisabolol.

A princípio, além de um bom hidratante, é provável que um creme ou uma pomada de corticóide sejam receitados para amenizar o quadro agudo. Se esses não surtirem efeito, serão necessárias medicações orais. Talvez sejam indicados cremes com diferentes concentrações de esteroide para diferentes áreas da pele ou cremes com imunomoduladores.

 
 

Relacionados