Técnica que consiste na aplicação de ácido hialurônico em pontos espalhados por todo o rosto

Foto: Olsztyn, freestocks.org

O preenchimento facial com ácido hialurônico já é bastante conhecido na dermatologia. Entre suas finalidades estão as de preencher rugas e sulcos, de melhorar o contorno facial ou mesmo de aumentar os volumes perdidos, como dos lábios e bochechas – sem exageros! Apesar de ser utilizado nos consultórios há bastante tempo, a técnica ganhou mais uma ferramenta em 2016 com a invenção do MD Codes (ou Códigos). Este consiste na aplicação da substância em pontos espalhados e mapeados pelo rosto a serem preenchidos, criando uma espécie de código, o que permite alcançar o efeito lifting.

Assim, existem pontos específicos que devem receber o ácido hialurônico de acordo com o resultado procurado pelo paciente. “E aqui acho sempre importante frisar que, independentemente do objetivo, é fundamental respeitar os traços e características de cada um para que a aparência fique a mais natural e suave possível, respeitando as peculiaridades de cada rosto”, diz a dra. Luciana

O tratamento tem sido apontado como revolucionário por médicos e pacientes. Os principais benefícios são os menores riscos de eventos adversos do que uma cirurgia pode trazer, bem como o tempo de recuperação é muito menor ao paciente. O impacto costuma ser o mesmo de outros procedimentos injetáveis, apenas com inchaço nos dias seguintes, que tende a normalizar por completo em alguns dias.

Ebook-home-care

O resultado
A duração varia entre um ano e meio e dois anos, quando o produto é inteiramente absorvido pelo organismo – e o efeito lift tende a diminuir até sumir. Como as aplicações com ácido hialurônico agem nas camadas mais profundas da pele, é fundamental não descuidar da parte mais superficial. Isso pode ser feito com uma variedade de técnicas, como: peelings, lasers, luz intensa pulsada e microagulhamento com drug delivery. São tratamentos que, combinados com o MD codes, produzem excelentes resultados.